25 novembro 2008

Comunicação com os mortos e reencarnação

O texto a seguir foi copiado de um dos artigos escrito pelo Pastor Ciro Sanches Zibordi, publicados em seu excelente "Blog do Ciro".
Nestes artigos o pastor responde ás perguntas feitas por várias pessoas que tem dúvidas acerca dos assuntos referentes á palavra de Deus.
O Pastor Ciro tem opiniões firmes e fortemente baseadas nas escrituras, criticando com certa aspereza e por vezes usando seu tom irônico particular, tudo e todos que se "afastam" ou "tropeçam" nas verdades bíblicas, não poupando nem mesmo famosos pregadores.
Indicamos a visita ao Blog do Pastor Ciro, mas prepare-se para ser impactado e até mesmo desafiado por seus textos diretos e palavras contundentes.
Aproveite seus artigos, pois são excelente fonte de conhecimento bíblico.

Deus os Abençoe...



Comunicação com os mortos e reencarnação


Josinaldo Justino pergunta:

Paz e graça, irmão Ciro.

Conheci o seu blog há poucos dias e gostei muito do conteúdo do mesmo. Sou cristão há quase 22 anos, e faz mais de 10 anos que atuo como professor de Escola Dominical. Sirvo ao Senhor na Assembléia de Deus e tenho enfrentado uma grande dificuldade para explicar o texto de Mateus 17.1-9.
A passagem acima diz que os discípulos viram Moisés e Elias! Sobre Elias não há nenhum problema; ele não morreu e foi elevado ao Céu por um redemoinho (2 Rs 2.11). Mas, e Moisés? O próprio Deus declara que morreu (Js.1.2)! O ocorrido não se trata de uma visão, visto que Pedro se prontifica em construir tendas para Moisés, Elias e o Senhor...
Esse texto tem sido um prato cheio para os espíritas, pois alegam que os mortos podem voltar e se comunicar com os vivos, e isso sob a autoridade de Jesus. Não tenho nenhuma dúvida sobre a malignidade das doutrinas espíritas, mas até o dia de hoje não consegui uma explicação plausível. O que o irmão tem a dizer sobre o assunto?

Josinaldo



Pastor Ciro responde:

Prezado Josinaldo,

A paz do Senhor!

Agradeço-lhe pelas palavras de incentivo.

Por que, na Transfiguração, apareceram Moisés com Elias? Porque eles são os principais representantes dos tempos do Antigo Testamento. Moisés, além de profeta, foi o líder de Israel em boa parte de sua jornada, sendo também o representante da Lei, posto que a recebeu diretamente do Senhor. Quanto a Elias, trata-se do representante dos profetas, um homem de Deus com muita autoridade.

Quem os trouxe ao nosso mundo, por assim dizer, foi o próprio Filho de Deus, que tem todo o poder e faz o que lhe apraz. Não se trata, nesse caso, de comunicação com os mortos, posto que ao Senhor, que é o Deus dos vivos e o Todo-Poderoso, tudo é possível.

Os exegetas (ou eisegetas) espíritas valem-se de Malaquias 4.5, uma profecia que se cumpriu parcialmente no período neotestamentário — pela qual Jesus disse: “... todos os profetas e a lei profetizaram até João [Batista]. E, se quereis dar crédito, é este o Elias que havia de vir” (Mt 11.13,14) —, para afirmar que João Batista teria sido a reencarnação de Elias. Mas este foi levado ao Céu, sem passar pela morte, como o irmão mencionou (2 Rs 2.11). Como o seu espírito poderia reencarnar, haja vista não ter desencarnado?

Quando Jesus afirmou que João Batista era o Elias que haveria de vir, estava apenas enfatizando a semelhança dos ministérios proféticos de ambos, conforme se lê em Lucas 1.17: “e irá adiante dele no espírito e virtude de Elias, para converter o coração dos pais aos filhos e os rebeldes, à prudência dos justos, com o fim de preparar ao Senhor um povo bem disposto”. Em outras palavras, Deus deu a João a autoridade espiritual de Elias.

Já que os espíritas querem interpretar o ocorrido fora de contexto para defender a falaciosa comunicação com os mortos, têm eles também de aceitar que quem apareceu na Transfiguração foi Elias, e não João Batista! Ora, como aquele teria reencarnado em João Batista sem ter morrido? Nesse caso, a mesma passagem que eles usam forçosamente em prol da comunicação com os mortos refuta a falaciosa doutrina da reencarnação! Segue-se que os dois representantes do Antigo Testamento foram convocados por Deus, a fim de que conversassem com o Senhor Jesus acerca de sua obra vicária (Lc 9.28-31). Foi isso o que aconteceu.

Quanto ao fato de que a Palavra de Deus condena a comunicação com os mortos — que na verdade é uma comunicação com demônios que se passam por espíritos de pessoas falecidas —, considero o seguinte: a Bíblia Sagrada condena a suposta comunicação com os mortos de modo contundente. Vemos isso, por exemplo, em 1 Samuel 28.

Ali, o rei Saul, depois de perder a comunhão com Deus, pensou que conversaria com o profeta Samuel. Os espíritas kardecistas também usam, equivocadamente, esse episódio para dar fundamentação bíblica à falaciosa doutrina da comunicação com os mortos. Mas jamais Samuel voltaria para falar com alguém, principalmente com Saul, a quem o Senhor rejeitara: “... o SENHOR lhe não respondeu, nem por sonhos, nem por Urim, nem por profetas” (1 Sm 28.6).

Há muitas provas de que quem falou com Saul não foi o profeta Samuel. Primeiro, porque a Bíblia não diz que foi Samuel quem lhe apareceu, mas que Saul entendeu que era ele (1 Sm 28.14). Aquele suposto Samuel mentiu, ao dizer que, no dia seguinte, o rei e todos os seus filhos seriam mortos (1 Sm 28.19). Quando em vida, o profeta Samuel foi um homem íntegro (1 Sm 3.19). Mentiria depois de morto?

Mas a maior evidência de que aquele que falou com Saul não passava de um agente de Satanás é que uma das razões pela qual o rei morreu foi a sua decisão de consultar uma feiticeira-médium: “... morreu Saul (...) também porque buscou a adivinhadora para a consultar” (1 Cr 10.13). Portanto, biblicamente, não existe a mínima possibilidade de comunicação dos vivos com os mortos, pois “está posto um grande abismo” entre eles (Lc 16.26; 2 Sm 12.23).

Em Cristo,

CSZ

Leia este texto no Blog do Ciro.

2 comentários:

Searle Oliveira disse...

Olá,

Meu nome é Searle Oliveira e eu costumo ler alguns artigos do seu blog, mas hoje eu gostaria de te mostrar um site, o Cânticos - Adoração e Louvor em Vídeos (www.canticos.com.br).

O Cânticos é um agregador de vídeos gospel e possui a maior quantidade de vídeos gospel agregados e organizados do Brasil.

Assim, gostaria de convidá-lo a conhecer o Cânticos e solicitar, caso seja possível, a publicação de nosso Mídia-Kit em seu Blog.

**Mídia-Kit**
O Cânticos - Adoração e Louvor em Vídeos (www.canticos.com.br) é o maior site agregador de vídeos gospel do Brasil. Lançado em Novembro de 2008, o Cânticos organiza os vídeos de acordo com seus respectivos artistas. Atualmente, conta com mais de 800 artistas, com mais de 12.000 vídeos agregados e com mais de 50.000 paginas geradas somente neste primeiro mês. Além disso, oferece seu conteúdo através de newsletter e RSS.
**

Para nós, do Cânticos, o louvor tem um significado muito especial. Em Novembro de 2008, iniciamos nossas atividades no país, sempre fiéis à nossa missão de ser líder na agregação e organização de louvor em vídeos para apoiar o crescimento da Palavra de Deus e promover a melhoria do entretenimento para o povo de Deus.

Um grande abraço,

Searle.

Danilo Fernandes disse...

Ola irmãos!


Queria convidar você para conhecer o meu blog, o Genizah que horas é pirado e engraçado, horas é exaltado e sério, mas é super do bem e tem como regra levar o Evangelho da Liberdade Verdadeira e a Santa Subversão de Jesus ao mundo egocêntrico e perdido nos seus valores! E, ainda dando tempo, aproveito para tirar uma onda com este pessoal que anda explorando a fé das pessoas e ainda dizendo que são cristãos... Ops!

Por minha vez, já me tornei seu seguidor.

Abraços em Cristo e Paz!

Danilo

http://genizah-virtual.blogspot.com/

____________________________________________________________

INFORMAÇÃO LEGAL


Esclarecemos que o blog da "IGREJA BATISTA NOVA VIDA", exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal, que dispõem sobre a "livre manifestação do pensamento" e a "livre expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença". Salientando ainda o inciso VI, do mesmo artigo, que sentencia "é inviolável a liberdade de consciência e de crença".

Fonte: Constituição do Brasil

Sobre direitos autorais, nos baseamos na lei nº. 9610, de 19/02/1998, que rege (Capítulo IV, artigo 46º), que diz: "Não constitui ofensa aos direitos autorais: III - a citação em livros, jornais, revistas ou qualquer outro meio de comunicação, de passagens de qualquer obra, para fins de estudo, crítica ou polêmica, na medida justificada para o fim a atingir, indicando-se o nome do autor e a origem da obra."

Fonte: http://www.planalto.gov.br/CCIVIL/Leis/L9610.htm

ACOMPANHAMOS